sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Por que importar máquinas é um bom negócio?

Por que importar máquinas é um bom negócio?

O comércio internacional representa a troca voluntária de bens e serviços entre nações, e foi sempre presente em toda a história da humanidade, e pelos efeitos da globalização sua importância nos últimos séculos foi mais crescente.
Com a globalização e a crescente importância do comércio internacional, surgiram: a importação de máquinas e equipamentos, a aquisição de novas tecnologias, a adoção de novos métodos e técnicas de produção, a modernização dos parques industriais e a ampliação das alternativas de compras de insumos, que vieram reduzir o tempo e o custo de produção. Deste modo, beneficiando as empresas que podem se capacitar a produzir bens de melhor qualidade, gerando uma maior competitividade no mercado internacional.
A importação de um produto pode ter benefícios diversos para cada empresa. Para algumas, ter produtos com qualidades diferenciadas que têm no exterior e que não tem a mesma qualidade no Brasil, é um grande diferencial, pois agrega valor a sua imagem perante seus clientes. Para outras, ter produtos importados aumenta o mix de seus produtos, aumentando suas vendas e destacando-se perante os concorrentes.
O mercado globalizado gera muita concorrência, e dentro deste mercado a empresa deve sempre estar atenta e identificar as vantagens dos produtos da concorrência, para que ela possa criar uma estratégia que possa destacá-la para conquistar novos mercados e manter os que já possui. Algumas dessas estratégias seriam a melhoria na qualidade dos produtos ou lançamento de novos produtos, isto certamente exigiria investimentos na linha de produção da empresa. Devido a isto, as empresas poderiam se beneficiar das importações, adquirindo máquinas de alta tecnologia no exterior, podendo inclusive utilizar melhores linhas de crédito, estudos de reduções tarifárias e regimes especiais em alguns casos.
Países em desenvolvimento como o Brasil, possuem deficiência nos setores e transmissores de progresso técnico, no sistema cientifico e tecnológico, na especialização produtiva em alguns setores estratégicos, na escala de faturamento das empresas, dificuldades de natureza macroeconômica, entre outros. Estas deficiências mostram a necessidade do país de importar tecnologia, como máquinas e equipamentos de alta qualidade, para gerar uma produção maior com menos custos e consequentemente competitividade das empresas brasileiras.
Houve um crescimento de 10,7%, no consumo aparente de máquinas no Brasil, que atingiu um total de R$ 26,8 bilhões de janeiro a maio de 2007 contra o mesmo período do ano anterior, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ). Estes dados mostram que houve um aumento no consumo dessas tecnologias, porém, mesmo com esse aumento, existe carência de máquinas de alta tecnologia na produção de produtos brasileiros. Para o Brasil crescer e as empresas brasileiras serem mais competitivas, deve haver uma maior introdução dessas tecnologias no mercado.
Segundo o Professor André Furtado, da Universidade Estadual de Campinas, “Nenhum grande país deixa de importar tecnologia, Importar tecnologia é bom, pois isso anima a massa de ciência e tecnologia nacional”.
A vantagem da importação de máquinas, é que o importador aumentará a competitividade de seu produto no mercado interno e externo, tornando a produção mais rápida e maior, sendo assim, o resultado final é um produto mais barato e com maior qualidade. Para o importador que trabalha com revenda dessa mercadoria, terá um bom lucro, pois as empresas brasileiras necessitam de máquinas com tecnologia para serem competitivas.
A desvalorização do dólar americano favoreceu muito as importações brasileiras, com isso, os produtos importados tornaram-se cada vez mais competitivos, favorecendo as empresas importadoras de máquinas que podem adquirir tecnologias por um melhor preço, melhorando assim sua competitividade.
Podemos concluir que a importação de máquinas é favorável pela desvalorização do dólar americano, benefícios fiscais em alguns casos, melhoria na qualidade do produto, aumento da produção, diversificação e inovação de produtos em alguns casos, entre outros. Estes fatos geram uma competitividade maior, deixando a empresa à frente de seus concorrentes.

Por Bruna Bitencourt





Um comentário:

josue disse...

parabens pela materia, estou com sua opinião e não abro mão